Guizado

Guizado

Jazz, Eletrônico, Punk Rock, Psicodélico e Pop: O Multiverso em Colapso de Guizado.

Guizado está entre os nomes mais celebrados da ótima safra da música independente nacional. Com cinco discos nas costas – “Punx” (2008), “Calavera” (2010), “O Voo do Dragão” (2015) e “Guizado Orbital” (2016) – o trompetista e compositor segue se superando na arte de mesclar elementos sonoros orgânicos com sintetizadores e outras programações eletrônicas. Em 2018, lançou seu novo álbum “O Multiverso Em Colapso” que figurou em listas de melhores discos de 2018.

O músico já passou pelos principais festivais do circuito nacional e internacional além do trabalho solo que lhe rendeu várias indicações e prêmios (como o Prêmio da Música Brasileira que ganhou em 2011). Além de seu trabalho solo, Guizado ainda assume/assumiu o trompete nos shows de inúmeros artistas celebrados da música brasileira como Karina Buhr, Céu, Criolo, Nação Zumbi, Elza Soares, Arnaldo Antunes, entre outros.

Seu último disco, “O Multiverso em Colapso”, é uma coprodução dele com o saudoso produtor Carlos Eduardo Miranda em que se lançam numa viagem retrô-futurista em um disco noturno, psicodélico, pop, frenético e com muitos vocais.

 

English:

Jazz, Electronic music, Punk-Rock, Psychedelic and Pop: O Multiverso em Colapso by Guizado

One of the main musicians of his generation, the trumpeter Guizado mixes FreeJazz with Punk Rock, joins Skate with electronic music and Jazz. Reinvents his instrument using electronic beats, analogical effects and samples.

In October 2018 Guizado released his fifth solo album, O Multiverso em Colapso. Co-produced with producer Carlos Eduardo Miranda, their work resulted in a retro-futuristic, nocturnal, pop, frenetic and very visual album.

O Multiverso em Colapso stands out and is already present on important lists that select the best albums of the year.

 

Clique para acessar / Click to access:

Spotify

Facebook

Instagram

Release / About

 

FOTOS DIVULGAÇÃO POR FÁBIO BITÃO:

gzd3

gz5 por Fábio Bitão

gz8 por Fábio Bitão